Escolha uma Página

Peeling de inverno – O que é? Como fazer?

Que tal ter uma pele hidratada, brilhante e saudável neste inverno? O peeling de inverno é um ótimo investimento, sem agressões, para ter uma face saudável e bonita. Confira!

Você sabia que, diferentemente do que a maioria das pessoas pensam, o inverno é a melhor época para fazer peeling? Se a estação sempre foi sinônimo de pele agredida e ressecada, com a popularização do peeling de inverno, as coisas mudaram.

Peeling de inverno – O que é? Como fazer?

O peeling de inverno funciona, pois há a menor incidência da luz solar na estação. Trata-se de um procedimento dermatológico, ideal para corrigir as imperfeições da pele – marcas de acne, manchas de sol e hormonais, efeitos do tempo e cicatrizes.

Os produtos usados eliminam as células mais danificadas da pele e estimula-se a produção de colágeno. O resultado é uma pele perfeita e cheia de vida. O produto promove uma profunda esfoliação, semelhante a uma queimadura.

Todos os tipos de peles podem passar por este tipo de tratamento – desde adolescentes e peles jovens e peles mais maduras. É o profissional que irá informar o tipo de ácido usado para cada caso.

Peeling de inverno: Tipos de peeling de inverno

Conheça os diferentes tipos de peeling para se fazer no inverno:

Peeling físico: É feito apenas com produtos físicos, como a dermoabrasão, promovendo a esfoliação da pele através de cristais de óxido de alumínio. Tem um ótimo efeito em rugas finas, manchas e melhorar a textura de pele. A pele fica viçosa e rejuvenescida. O tratamento tem um ótimo custo-benefício.

Há ainda gommage e o peeling enzimático, que são bem parecidos com o peeling físico: o primeiro, é uma esfoliação efetiva; o segundo, utiliza os ácidos de frutas.

Peeling químico: É um tratamento mais profundo, com ácido. A profundidade varia conforme o estado da pele. Entre os produtos usados, há o ácido mandélico, que promove um peeling extremamente superficial, removendo apenas as células mortas; e o ácido retinoico, que promove um peeling menos superficial, mas que atua em manchas leves. Já o ácido tricloroacético (TCA), atua em profundidade média, impactando em linhas mais acentuadas, pequenas cicatrizes e manchas mais resistentes. O peeling profundo, feito com fenol, envolve anestesia e deve ser feito em clínicas e hospitais especializados. É perfeito para peles muito envelhecidas.

Peeling de inverno – O que é? Como fazer?

Cuidados após o peeling de inverno

Primeiramente, o peeling de inverno é um tratamento que deixará a pele um pouco sensível e os seus bons efeitos não aparecem na hora. Leva alguns dias até a pele ficar mais amena. Ocorre uma descamação em toda a área tratada, e desta forma, não é indicado que se tome sol e o uso do protetor solar é indispensável.

Saiba mais: Nutricosméticos: Beleza por dentro e por fora

No caso de um tratamento mais profundo, as descamações são mais severas – ocorrem frequentemente inchaços, bolhas, cascas grossas e o tempo de recuperação é de no mínimo 15 dias. Não é indicado que se tire as cascas, forçando-as, nem o que se passe maquiagem neste período. Mesmo com tantos inconvenientes, os resultados são muito satisfatórios já na primeira aplicação – no caso de peles muito problemáticas ou maduras, poderão ser indicadas mais sessões.

Imagens: Pinterest

Gostou da matéria? Qual é a sua dica de beleza para este inverno? Compartilho nos comentários!

Saiba mais:

Pin It on Pinterest

Share This

Compartilhe agora!

Se gostou compartilhe com seus amigos e familiares!